Sobre 
Chico Castillo

Biografia

Nascido e criado na França, Chico Castillo é considerado um artista flamenco de coração. Vindo de uma família espanhola e com raízes artísticas, Chico desenvolveu sua arte, aprendeu a apreciar a vida e a sentir a paixão pela música flamenca. Aos 12 anos de idade participou de primeiro festival e logo soube que seu futuro seria marcado pela música.
Com o incentivo de sua mãe, que foi uma das primeiras cantoras do Balé Nacional da Espanha, e de seu avô, um renomado intérprete de violão, ele se destacou no mundo musical e, aos 17 anos, teve um encontro com o patriarca da família Baliardo, Manitas de Plata, criador do som Gipsy, que foi de extrema importante para Chico desenvolver seu próprio estilo.

"Com eles eu aprendi muito. Eles são os mestres desta arte, uma arte que eu amo, aquela que me levou a ver um mundo de fantasia. Um mundo em que todos os dias continuo descobrindo novas fusões para o flamenco”, comenta.

A carreira de Chico Castillo ganhou consistência ainda maior com a influência dos ritmos de dois grandes mestres da música hispânica: o violonista Peret e a sua rumba catalã, e o genial violonista Paco de Lucia, expoente do novo flamenco. Foi a partir desses encontros que Chico Castillo conduziu seu trabalho para a música cigana. Aos 23 anos, ele compôs a música Alabina, expressão importante do gênero, mostrando uma fusão de sons que encantou o mundo.

Com a música Alabina, Chico Castillo, conquistou disco de platina e de ouro, alcançando mais de 14 milhões de cópias vendidas em todo o mundo.
Alabina esteve presente também em trilhas sonoras de vários filmes, com os quais milhões de espectadores na Europa tiveram a oportunidade de experimentar o fenômeno da música cigana. The Gipsy (ou Chico Castillo) seguiu sua carreira e escreveu o musical Don Juan, ao lado de Felix Gray, ganhando vários prêmios e vendendo 5 milhões de álbuns.

Bem posicionado no mercado musical europeu, Chico Castillo foi convidado pela família Reyes e Baliardo participar como “Special Guest” do grupo Gipsy Kings, fato que contribuiu para o sucesso de sua carreira, permitindo que ele alcançasse posições importantes na Espanha nos anos 90. Com os Gipsy Kings, Chico reforçou a mistura de flamenco com outros ritmos, cruzando todas as fronteiras, tornando-o um fenômeno musical.

"Acho que os Gipsy Kings são os maiores expoentes desse movimento. Sem a contribuição deles, essa música não seria o que é. Eles também foram uma parte fundamental do meu desenvolvimento." Ao lado de André Reyes e Mario Reyes, Chico Castillo adicionou em sua bagagem, a arte de impulsionar e contagiar o público com sua música em todos os continentes. Sucessos como Djobi Djoba", "Bamboleo", “Alabina” e "Volare" obtiveram reconhecimento nos Estados Unidos pelo qual passaram quarenta semanas nas listas de sucessos, algo que poucos álbuns em espanhol haviam obtido.

Em 2012, Chico apresentou um show único e surpreendente no prestigiado Olympia em Paris, tendo como seu convidado, o ícone da música cigana, Manitas de Plata. Com sucesso e prestígio consolidado, The Gipsy se apresentou com grandes celebridades da música e do cinema, cantou para reis e rainhas, participou de inúmeros programas de televisão e levou sua arte à todos os continentes.